Total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Hoje acordei uma nova mulher



Segundo a filosofia popular brasileira, o ano só começa de fato, após o carnaval. E pra mim, começa uma nova etapa da minha vida. As mudanças dentro de mim são profundas, inclusive filosoficamente. Sinto que deixei a fase do encantamento, dos sonhos e consequentemente da poesia.

Todos os acontecimentos negativos foram lançados ao inconsciente, para que fiquem guardados e não venham a me trazer emoções que não quero mais. Não quero mais ilusões, ou acreditar em falsas promessas e amores que de fato não existem.

Cansei de ser descartável na vida das pessoas. Nunca gostei disso e não será agora que virei a gostar. As pessoas quando querem envolver outras, esquecem de que somos feitos de sentimentos e eles muitas vezes, nos trazem um sofrimento muito grande.

Com essa virada do ano, estou também virando minha vida. Talvez, só agora, e diante de tantas que passei, esteja vendo as pessoas como de fato elas são; desumanas e insensíveis. Apesar de tudo, mesmo tendo essa consciência, sei que no fundo, serei a mesma sonhadora. Porém, com um grande diferencial: estarei alerta, me policiando.

Palavras bonitas, músicas românticas, paixões declaradas, já não me trarão encantamentos. Nem discursos cheios de sabedorias, sobre atitudes e ações, me farão brilhar os olhos de entusiasmo e credulidade. Tampouco a palavra amor, repetidas vezes, no calor do desejo de ver o seu alvo acertado, me fará deter a marcha acirrada das minhas defesas.

Acreditei em palavras que com o passar do tempo, ficaram esquecidas. Atitudes que contradiziam com essas ditas palavras. Discursos dirigidos aos outros, como se de fato, estivessem acima de qualquer suspeita. Respeito que acabou se transformando numa guerra interna minha, por falta dele; e a desconsideração daquilo que de fato sou; passando de uma hora pra outra, a ver minha imagem, confundida com pessoas vulgares, em comentários desrespeitosos em meus blogs.

Sim, de fato hoje acordei uma nova mulher. E eu mesma não acreditei quando percebi, que muita coisa havia mudado em mim. Olhei para dentro e não encontrei aqueles sonhos, aquelas fantasias, que traziam todo encantamento e todo brilho a minha vida.

Mas com certeza, vi a minha frente, as pessoas do jeitinho que são; frias, distantes, egoístas, calculistas; capazes de racionalizar o que e quanto precisam fazer para conquistar um coração. Que são capazes de tudo, para alcançarem seus objetivos, ainda que passem por cima do que temos de mais importante: os nossos sentimentos.