Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de julho de 2008


Indiferença

Tenho emudecido meu canto
tentado secar o meu pranto
aprendendo a sozinha, caminhar...
Vejo meu sorriso acanhado,
meu violão cada vez mais calado,
meus sonhos indo pra o ar.

O meu peito cada vez mais vazio,
meu quarto maior, mais sombrio
Tenho perdido a emoção...
Já não sinto mais alegria,
nessa minha vida vazia,
apenas, sinto a dor do coração.

Saudade do que pensei um dia
Ser tão meu, minha alegria.
Hoje resta em você, a indiferença,
e meus dias apenas são;
Choro a triste solidão,
Do tanto que é pra mim, sua presença.

segunda-feira, 14 de julho de 2008





Conflito
Amor, apenas pra dizer muitas coisas e não dizer nada. Sei, será mais um sem ser lido e esperar uma resposta que nunca virá. Cabeça confusa, coração aflito, desejos frustrados, amor infinito. Sono que passa, noite que não tem fim, dia que não quer chegar, sol que parece não mais brilhar.

Terra seca, flor que aos poucos morre. Vento que vem, mas que não traz ninguém. Manhã que chega, luzes que se apagam, nada mais tem cores. Coração que se fecha, lágrimas que amargam dores.

Desejo contido, seu olhar, seu cheiro que despertam sabores. Corpo aflito, suor gelado. Quero você; vem me fazer sua novamente, quero seu membro rijo, adentrando em minha carne. E louca, quero o sabor do seu gozo escorrendo pela minha boca .

Preciso acabar com isso; não quero ter desejos, não quero esta aflição. Não quero mais uma noite perdida. Não quero mais ter coração. Palavras soltas, sentimentos que vagam, um imenso conflito: o querer e não querer, o ter e não ter. Delírios desse amor infinito.